sexta-feira, 29 de julho de 2016

Caminho Português de Santiago: de Valença do Minho a Compostela

Partilho convosco o lado exterior desta caminhada…
O lado interior (até porque não tenho capacidade para o exprimir) fica comigo e com a minha filha!…
Um abraço a todos.

sábado, 22 de agosto de 2015

Romaria de Nossa Senhora da Agonia - Viana do Castelo /2015

As tradições ainda são o que eram!...
As gentes de Viana do Castelo, e do Alto Minho em geral, preservam com um orgulho contagiante as suas tradições e costumes, particularmente os seus trajes que, convenhamos, são lindíssimos... e riquíssimos.
Este ano, a Romaria de Nossa Senhora da Agonia fez parte do meu roteiro de férias, e, como diz Amália:
Se o meu sangue não me engana
Como engana a fantasia..."       
hei de voltar a Viana.

(Segue um videozinho com imagens dos Tapetes Floridos, da Procissão ao Mar, do Desfile da Mordomia e da Revista de "Gigantones a Cabeçudos", um espetáculo de percussão, com o rufar uníssono dos diversos grupos de bombos)

sexta-feira, 3 de julho de 2015

De ASTORGA até COMPOSTELA... pelo Caminho Francês de Santiago

De tantas vezes ouvir dizer “daqui até Astorga”, "de Bracara Augusta até Asturica Augusta”, ou ainda, "entra em Espanha na Portela do Homem e vai até Astorga", resolvi agora fazer desta cidade de Castilla y León não o local do destino, mas o ponto da partida. Assim, na companhia (como também AQUI acontecera) do Óscar Rodrigues, resolvi pedalar desde Astorga até Compostela, seguindo o Caminho Francês de Santiago.
De difícil logística, pois levar as bicicletas no comboio até Astorga não foi tarefa fácil, lá conseguimos dar as primeiras pedaladas, rumo a Santiago, às 8 horas (hora espanhola), do passado dia 28 de junho.
O itinerário em território de Castilla y León é bastante acidentado, com duas subidas que exigem bastante preparação, principalmente a subida a O Cebreiro, povoado muito bonito, de origem celta, e onde termina a província de Castilla y León e inicia a da Galiza.
Uff!... Suei as estopinhas!... Mas “quem quer passar além do Bojador tem que passar além da dor”.
A todos quantos fizeram este troço ouvi dizer que é dos mais bonitos troços do Caminho Francês, que lá do alto se veem paisagens maravilhosas, sim, é verdade, mas um terrabourense como eu, razoável conhecedor da Serra do Gerês, reconhece, claro, que isto é bonito, sim senhor, tem a sua beleza, mas… quem já galgou pela Encosta do Sol aos Carris e ao Pico da Nevosa, quem do Borrageiro contemplou a Roca Negra e a Rocalva, quem se refrescou nos Prados do Conho e da Teixeira, quem trepou ao Cutelo de Pias e se banhou no Poço Azul ou na Ribeira Dola... é caso para dizer: “isto é que é lindo?"
De Sarria até Santiago (troço que eu já conhecia e que AQUI mostrei), o Caminho faz-se com relativa facilidade, mesmo as subidas mais íngremes acontecem, as mais das vezes, sob bosques frondosos, de sombras reconfortantes.
Já o ano passado, quando fiz, a pé, os últimos 111 kms deste Caminho, fiquei impressionado com o número e diversidade pátria de peregrinos. Agora, além de italianos, espanhóis, brasileiros, portugueses (encontramos apenas três), o que mais me impressionou foi a presença de orientais, sobretudo sul-coreanos. Eles eram aos grandes grupos, grupos pequenos, aos pares, sozinhos!... Muitos, mesmo!...
Sendo impossível transmitir todo o gozo que uma experiência como esta nos proporciona, deixo-vos um vídeo muito mal-amanhado, pois não havia tempo para parar e fixar a minha Olympus, mas que vos poderá dar uma leve ideia de mais uma fantástica aventura pelos Caminhos de Santiago.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Um outro S. João


Este ano, deixei-me de marteladas e fiquei por casa na noite de S. João.
Às 9:00 horas do dia 24, porém, já estava no centro da cidade a escolher o melhor local para ver o desfile do Carro das Ervas, a Dança do Rei David e o Carro do Auto dos Pastores.
É um outro S. João!... Muito bonito!...

 ****************


O Carro das Ervas é uma tradição medieval cujo objetivo era perfumar as ruas com ervas de cheiro, de forma a purificar os locais por onde passavam os cortejos e procissões.


A dança do Rei David é outra das tradições mais relevantes das festas de São João em Braga.
Constituída por 13 elementos, um dos quais o Rei David, que se destaca ao centro. O grupo está dividido em duas filas de seis elementos cada. Cada fila tem um guia, cuja missão é iniciar a dança e interagir com o Rei. A melodia que acompanha a dança é constituída por “duas partes de doze compassos binários”.
A música atualmente utilizada é oitocentista, devendo-se a sua autoria a um monge agostinho do Convento do Pópulo. Quanto à dança, o mais caraterístico é um passo tipo polca, em que uma das pernas está elevada com o joelho dobrado sobre a cinta, enquanto a outra suporta o peso total do corpo.
Frequentemente associada ao auto do Carro dos Pastores, tem também origem nos quadros exibidos nas procissões sanjoaninas do período barroco, discutindo-se a influência que poderá ter recebido da Mourisca, com cuja configuração detém semelhanças.
Trata-se, provavelmente, da tradição mais antiga associada aos festejos bracarenses, tendo mantido uma regularidade assinalável quer quanto à música, quer quanto à forma.
A origem da dança do Rei David, que já se tornou no maior ícone das festas sanjoaninas, continua até hoje por apurar. São muitas as vozes que atiram a sua origem para o século XVI, nomeadamente para a Mourisca, tradição que já abordamos e que nasceu associada às celebrações do Corpus Christi. Esta tradição chegou aos nossos dias, pois, durante várias gerações, foi conservada por uma família da freguesia de Palmeira, que orgulhosamente a foi transmitindo de pais para filhos.
O protagonista da dança representa a destacada figura bíblica do pastor que se tornou monarca do Povo de Deus ao derrotar o Golias: o Rei David. Diz-nos José Gomes, que existe uma referência documental à dança do Rei David datada de 1726, na qual se refere que esta dança deveria ser levada a cabo pelos correeiros, sirgueiros, pasteleiros e palmilheiros.

O Carro dos Pastores é uma tradição com origem provável no século XVIII, sendo uma típica representação teatral, posterior à fundação do teatro moderno. A sua preexistência, é citada na “Relação do Festivo Aplauso”, documento que descreve a constituição de uma grandiosa procissão em honra de São João Baptista no ano de 1754.
Os diversos atos que compõem esta peça teatral, representada num carro forrado a cortiça e totalmente decorado com ervas e flores, referem-se ao nascimento de São João Baptista, o momento recordado pela liturgia deste dia. Neste palco sobre rodas, são representadas cenas bíblicas como o aparecimento do anjo a Zacarias que, conjuntamente com sua esposa Isabel, há muito desejava um filho, facto que se tornava cada vez mais utópico devido à idade avançada dos dois. O anjo anunciou e Zacarias não acreditou, ficando surdo e mudo até ao final do ato. O anjo volta aparecer para anunciar o nascimento de São João que, sorridente, aparece “destapado” por uma placa metálica causando um burburinho na multidão que assiste.
Toda a representação é marcada pelos cânticos e danças dos pastores, seis rapazes e seis raparigas, vestidos com trajes tradicionais e vistosos que dão indescritível brilho a esta representação. Os cajados decorados com fitas coloridas e as pandeiretas completam o quadro pastoril. Os anjos que vão aparecendo sobre uma nuvem, que vai subindo e descendo conforme a cena a representar, confere igualmente um toque de grande originalidade e engenho a este auto.
Outrora puxado por duas juntas de bois, tradição recuperada parcialmente nos últimos anos, o carro dos Pastores vai circulando pelas ruas da cidade, desde as 09h00 até 16h00, em conjunto com o Carro do Rei David e o Carro das Ervas, sendo sem dúvida a mais bela e elegante alegoria ao São João, conservada como memória viva da Sagrada Escritura.
Fonte: http://saojoaobraga.pt/sobre/ervas-pastores-e-rei-david/

terça-feira, 23 de junho de 2015

Ferro Rodrigues e o Professor Primário


Alguém conhece alguma reação dos sindicatos de professores? 
Ai se fosse o visado (ou outros que eu cá sei) a dizer o que o líder parlamentar do PS disse!... Não faltariam ofendidos!...
Onde anda Mário Nogueira?

terça-feira, 9 de junho de 2015

Em busca do Lírio... pelo Gerês mais alto e profundo!


No último sábado de maio e no primeiro de junho, trepei às cumeadas mais altas do Gerês em busca do Iris Boissieri – o Lírio do Gerês.
Qualquer caminhada na serra é, para mim, um gozo e um desafio, mas quando encontramos algo que procurávamos há cerca de três anos, torna-se numa extraordinária vivência de Natureza.
O Lírio do Gerês é, de facto, uma frágil flor, uma das espécies mais raras da Península Ibérica, com cerca de palmo e meio de altura, atingindo a plena floração em fins de maio e princípios de junho. O seu tempo de floração é bastante curto, três/quatro semanas, dependendo das condições climáticas. 
Os lírios que aparecem no vídeo estavam numa zona situada a cerca de 1170 metros de altitude.
No próximo fim de semana já será tarde para os vermos viçosos!...

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Remoques... pretensamente poéticos: sobre uma flor


                                                            se me vires solitário
                                        entre as pedras e a carqueja
                                        não te mova a piedade
                                        nem lhe chames solidão
                                        talvez aí esteja
                                        o destino da raiz
                                        que me prende a este chão
                                        e me faz desabrochar
                                        no trilho que me percorre
                                        sem a angústia do tempo com esperas.

                                                                     macviana
                                                                                            06.jun.2015

terça-feira, 31 de março de 2015

Vilarinho da Furna: um dia de não pesca


Um dia envolto nos 4 elementos: a água cujo movimento foi melodia permanente; a terra que me deu repouso; o fogo que deflagrou nas encostas de Lindoso; o ar que me refrescou o rosto. 
A pesca é o menos!...

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Aqui, há português (in)correto... (42)


Admito que possa haver situações no "sector do ensino público" que sejam verdadeiros crimes. Agora que seja o governo, e não os tribunais, a "descriminar" é que é estranho!...
De facto, nenhum setor do ensino, seja privado ou público, deve ser discriminado.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O Cante Alentejano - Património Cultural Imaterial da Humanidade

O cante alentejano, um canto coletivo que adoro ouvir, foi hoje classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.


(adaptado do vídeo promocional da candidatura, de Sérgio Tréfaut)

Parabéns, amigos alentejanos!...

domingo, 16 de novembro de 2014

Meu Amigo Está Longe!

Ary dos Santos e Alain Oulman
por Gisela João



                                Nem um poema, nem um verso, nem um canto
                                Tudo raso de ausência, tudo liso de espanto
                                Amiga, noiva, mãe, irmã, amante
                                Meu amigo está longe
                                E a distância é tão grande!...

                                Nem um som, nem um grito, nem um ai
                                Tudo calado, todos sem mãe nem pai
                                Amiga, noiva, mãe, irmã, amante
                                Meu amigo está longe
                                E a tristeza é tão grande!...

                                Ai esta mágoa, ai este pranto, ai esta dor
                                Dor do amor sozinho, do amor maior
                                Amiga, noiva, mãe, irmã, amante
                                Meu amigo está longe
                                E a saudade é tão grande!...

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Aqui, há português (in)correto... (41)


O Sporting defronta os eslovenos e, mais uma vez, o legendista afronta uma das regras fundamentais de colocação das vírgulas: nunca separar o verbo do complemento direto.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Farejando...



                                                 por veredas e penhascos
                                                 farejo
                                                 minuciosamente
                                                 o rasto do prazer
                                                 que anseio
                                                 dissimulado em mimetismos de fuga

                                                encaro a presa
                                                desengatilho o estrondo do momento
                                                 - e caímos fulminados
                                                 no gozo de nos mordermos!...

                                                                 macviana

domingo, 26 de outubro de 2014

Incursão micológica pelo Gerês

Há dias, na companhia de amigos especiais e especializados, fiz uma incursão pela Serra do Gerês, que, por esta altura do ano, nos oferece infindáveis motivos para a fotografia, sobretudo de cascatas, flores e cogumelos. 
Muitas das fotos que aqui  (clicar na imagem)  vereis são sacadas da máquina do Óscar Rodrigues, a quem agradeço a cedência.

https://www.youtube.com/watch?v=3WQCJh7Eozg&feature=youtu.be


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

O Schalke 04, a GAZPROM e os árbitros... russos

Quem tramou o Sporting? 

Esta é a camisola do Schalke 04. 

E o que é a GAZPROM?
Gazprom (Газпром, no alfabeto cirílico) é uma empresa de energia russa. É a maior empresa da Rússia e é a maior exportadora de gás natural do mundo o que lhe confere a décima quinta posição no ranking das maiores empresas mundiais (Forbes 2011). Foi fundada em 1989 e é atualmente controlada pelo estado russo e tem partes das ações privatizadas. A empresa tem 432 mil empregados e vendas anuais de 31 bilhões de dólares (2004). O valor de mercado da empresa, 172,9 bilhões de dólares (est. abril 2011), a posiciona como a terceira maior corporação do mundo. A empresa controla 15% das reservas mundiais de gás e uma considerável quantidade das reservas de petróleo. 
Seis por cento da companhia é de propriedade de firmas  alemãs."

Palavras para quê?!...