quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Aqui, há português (in)correto... (8)

 

Imagens passadas, ontem, na RTP1
Onyang, vinda do Quénia, entrou ilegalmente nos Estados Unidos há 10 anos. Conseguiu contornar as ordens de expulsão e vive em Boston com casa e subsídios do Estado. Assegura que nunca pediu nada ao presidente e considera que a sua situação é um dos "milagres de Deus".

"Sou tia dele (de Barack Obama). Se ele fizer algo errado, sou a única pessoa na Terra com autoridade para lhe puxar as orelhas e dar-lhe um tabefe. A tia é uma pessoa muito venerada na cultura africana.
- O que lhe devem os Estados Unidos? - pergunta o entrevistador.
- Nada - responde - e eu não lhes devo nada... é um País livre aos olhos de Deus. O sonho americano tornou-se no meu pior pesadelo americano. Por tudo aquilo por que passei... foi muito, mesmo muita coisa!..."

Ah! Grande tia, é assim mesmo! Que tudo aquilo por que (= pelo qual) passaste jamais te amoleça a têmpera africana! Nem que seja preciso dar um tabefe ao presidente dos Estados Unidos... e um puxão de orelhas a quem fez a legenda!...

Sem comentários:

Enviar um comentário