quarta-feira, 22 de setembro de 2010

"Nós precisamos, absolutamente, de nos orgulharmos dos nossos alunos!..." - Isabel Alçada*

Se nas escolas EB 2,3/S falássemos assim tão infantilmente para os adolescentes e jovens, o circo seria ainda muito mais animado!...


Vejam, agora, a réplica deste miúdo: tem sentido de humor, não é ofensiva e revela espírito crítico.


Desafio aos professores: "quantos de nós se orgulhariam, absolutamente, deste aluno?"

* - Saberão, aqueles que me conhecem, que procuro cultivar o valor da cidadania e da livre opinião. Aquando das lutas dos professores contra a avaliação de desempenho, fui um declarado opositor a um modelo que considerei mesquinho e humilhante, pernicioso e injusto. Maria de Lurdes Rodrigues sempre me pareceu alguém com azedume, de mal com a classe e, sobretudo, de mal com a vida... e as marcas de uma política educativa orientada sobretudo para ilusórios objetivos estatísticos levarão anos a serem remediadas. Isabel Alçada, por seu turno, é uma pessoa culta e educada, bem intencionada e preocupada, absolutamente, com o sucesso da "escola" (sem ironia).
O sua comunicação "aos alunos, aos professores e até às famílias" é que me parece despropositadamente infantil e maternalista.

1 comentário:

  1. A Pátria treme com o fenómeno “blogger”. Percebo porquê. Não é apenas o intelectual secular que se vê demitido do seu intocável papel de produtor e promotor de conhecimento. É todo um monopólio cultural que se encontra ameaçado, o monopólio cultural da Esquerda, exercido por ela durante décadas sucessivas, através dos meios de comunicação tradicionais. Foram quarenta e oito anos de autoritarismo reaccionário em que a alternativa ideológica e cultural era uma canga igualmente autoritária e reaccionária. Que, ao contrário do regime, sobreviveu e perdurou. Não admira que a esmagadora maioria dos blogs seja de Direita e se situe explicitamente à Direita. Como não admira o tom em que são escritos. Um tom de raiva e liberdade. A raiva típica dos escravos que se libertam.
    Abraço. Rui

    ResponderEliminar