terça-feira, 5 de outubro de 2010

Viva a República!


Considero a "república" um importante ganho civilizacional.
Sem entrar em grandes lucubrações históricas, políticas ou filosóficas, a mim bastam-me estes princípios para ser um republicano convicto:
- todo o homem é igual - não há humanos de "sangue azul", superiores aos comuns mortais, delegados do poder de Deus na terra;
- o poder é originário do povo, que o delega nos seus eleitos - no regime monárquico, o poder é do rei, delegado de Deus, e exercido sobre todos os outros, seus súbditos; na república (democrática), o poder é do povo, está em todas as suas organizações de base e é por ele delegado nos representantes universalmente eleitos;
- o Estado é laico, separado das igrejas - todos os estados confessionais se tornaram fundamentalistas e recorreram a atos de violência sobre os não crentes ou crentes de outras religiões.

2 comentários:

  1. "A República foi sempre um regime de partido único, nunca foi amiga das liberdades individuais, nunca respeitou a lei, nem a lei constitucional, nem a lei civil, foi um regime terrorista, em que as pessoas que se opunham ao regime eram punidas e às vezes mortas. O facto é que a ditadura e, sobretudo, o salazarismo apareceram em Portugal como libertadores.Por isso, celebrar a "ditadura democrática" é tão absurdo como celebrar a "ditadura salazarista"."
    Vasco Pulido Valente "O Poder e o Povo"

    ResponderEliminar