quarta-feira, 23 de março de 2011

...e Sócrates virou costas.



Até parece que nos queria dar um chocolate, coitadinho, e os outros, maus, não lhe permitiram esse miminho!...

Ora, com o PEC 4:
Sócrates continuava... e a economia apontaria para uma queda de 0,9 % do PIB.
Sócrates continuava... e a taxa de desemprego passaria de 10,8 para 11,2.
Sócrates continuava... e seriam congeladas as pensões.
Sócrates continuava... e o salário mínimo não seria aumentado.
Sócrates continuava... e as deduções fiscais seriam penalizadas.
Sócrates continuava... e seriam revistas as listas anexas ao Código do IVA.
Sócrates continuava... e continuariam a roubar-nos no salário.
Sócrates continuava... e os créditos à habitação perderiam os benefícios fiscais.
Sócrates continuava... e haveria um corte das pensões acima dos 1500 euros.
Sócrates continuava... e mais de 400 escolas seriam fechadas.
Sócrates continuava... e algumas urgências seriam encerradas.
Sócrates continuava... e seria revista a rede de tribunais.
Sócrates continuava... e serviços públicos de transporte seriam anulados.
Sócrates continuava... e precisaríamos de um PEC 5.
Sócrates continuava... e viria o FMI.

Então, já que teremos que gramar com estas medidas e com o FMI, com ou sem Sócrates e por causa de Sócrates, que já aplicou e falhou o PEC 1, o PEC 2 e o PEC 3, ao menos não sejamos continuamente iludidos e enganados!
Já há muito que eu digo: Voz ao Povo!

Francisco Mendes da Silva

Sem comentários:

Enviar um comentário