quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Património e sítios com história(s): a Via Sacra de Souto

A Via Sacra de Souto, em Terras de Bouro, é um núcleo de património religioso único, que urge referenciar, classificar e proteger. Todas as estações são de construção tipicamente naïf, em pedra "talhada" com esculturas em alto relevo que nos remetem para os passos da Paixão de Jesus Cristo (apenas uma, talvez a nº 11, não apresenta qualquer figura).
Dos catorze quadros que compõem a Paixão, não consegui localizar dois deles, o doze e o treze...
Regressarei a Souto e, com tempo e informações mais precisas, talvez possa atualizar este post com as estações em falta.

Aqui ficam algumas das fotografias que hoje fiz:




domingo, 1 de julho de 2012

1º Domingo de Julho: Festa da Senhora do Livramento

No dia da Festa da Senhora do Livramento, em Vilar, Terras de Bouro, recordo estes dois lindos fados: um, cantado por Amália, aí pelos anos 60, faz referência subtil à guerra colonial; o outro é interpretado por Camané e Maria da Fé.



Senhora do Livramento,
Livrai o meu namorado
Que me vai deixar sozinha,
Ai, meu Jesus!
Ai, meu Jesus!
Pela vida de soldado!
Pela vida de soldado!
As vossas tranças, Senhora,
São loiras como as espigas!
Senhora do Livramento,
Ai, meu Jesus!
Ai, meu Jesus!
Ajudai as raparigas!
Ajudai as raparigas

Senhora do Livramento 
Livrai-me deste tormento 
De a não ver há tantos dias 
Partiu zangada comigo 
Deixou-me um retrato antigo 
Que me aquece as noites frias
Senhora que o pensamento 
Corre veloz como o vento 
Rumando estradas ao céu 
Fazei crescer os meus dedos 
P´ra desvendar os segredos 
Num céu que não é só meu
Senhora do céu das dores 
Infernos, prantos, amores 
A castigar tanto norte 
Porque é que partiste um dia 
Sofrendo a minha agonia 
E não me roubaste a morte

domingo, 10 de junho de 2012

Sampaio da Nóvoa: "...ou nos salvamos a nós ou ninguém nos salva"...

Eis como é possível, mesmo em momentos de circunstância, dizer muito mais do que apenas palavras de circunstância...


António Sampaio da Nóvoa, Reitor da Universidade de Lisboa, na qualidade de Presidente da Comissão Organizadora das Comemorações do Dia de Portugal, proferiu um discurso notável, clarividente, programador...
Portugal precisa de cidadãos assim...

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Canção que trago no ouvido: "No teu poema", de José Luís Tinoco

Não podendo estar presente, na biblioteca da minha escola, numa sessão de leitura de "Poesia ao entardecer..." promovida por um grupo de colegas, deixo aqui este lindo poema de José Luís Tinoco, que também o musicou, num tempo bastante criativo para a música portuguesa, interpretado por Carlos do Carmo:


No teu poema
Existe um verso em branco e sem medida
Um corpo que respira, um céu aberto
Janela debruçada para a vida

No teu poema
Existe a dor calada lá no fundo
O passo da coragem em casa escura
E aberta uma varanda para o mundo

Existe a noite
O riso e a voz refeita à luz do dia
A festa da Senhora d'Agonia e o cansaço
Do corpo que adormece em cama fria

Existe um rio
A sina de quem nasce fraco ou forte
O risco a raiva e a luta
De quem cai ou que resiste
Que vence ou adormece antes da morte

No teu poema
Existe o grito e o eco da metralha
A dor que sei de cor mas não recito
E os sonos inquietos de quem fala

No teu poema
Existe um cantochão alentejano
A rua e o pregão de uma varina
E um barco assoprado a todo o pano

 Existe um rio
O canto em vozes juntas, vezes certas
Canção de uma só letra e um só destino a embarcar
No cais da nova nau das descobertas

Existe um rio
A sina de quem nasce fraco ou forte
O risco a raiva e a luta
De quem cai ou que resiste
Que vence ou adormece antes da morte

No teu poema
Existe a esperança acesa atrás do mundo
Existe tudo mais que ainda me escapa
É um verso em branco à espera
Do futuro

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Pergunta: em que é que esta gente que “observa” torna o País melhor ???


Recebi, na caixa de email, esta:

A quantidade imensa de gente que afirma andar a observar...

São só 111 observatórios... 


Observatório do medicamentos e dos produtos da saúde
Observatório nacional de saúde
Observatório português dos sistemas de saúde (...só para a saúde são 3 !!!)
Observatório vida
Observatório do ordenamento do território
Observatório do comércio
Observatório da imigração
Observatório para os assuntos da família
Observatório permanente da juventude
Observatório nacional da droga e toxicodependência
Observatório europeu da droga e toxicodependência
Observatório geopolítico das drogas (...mais 3 !!!)
Observatório do ambiente
Observatório das ciências e tecnologias
Observatório do turismo
Observatório para a igualdade de oportunidades
Observatório da imprensa
Observatório das ciências e do ensino superior
Observatório dos estudantes do ensino superior
Observatório da comunicação
Observatório das actividades culturais
Observatório local da Guarda
Observatório de inserção profissional
Observatório do emprego e formação profissional (...???)
Observatório nacional dos recursos humanos
Observatório regional de Leiria (...o que é que esta gente fará ??)
Observatório permanente do ensino secundário
Observatório permanente da justiça
Observatório estatístico de Oeiras (...deve ser para observar o SATU !!!)
Observatório da criação de empresas
Observatório Mcom
Observatório têxtil
Observatório da neologia do português
Observatório de segurança
Observatório do desenvolvimento do Alentejo
Observatório de cheias  (...lol...lol...)
Observatório da sociedade de informação
Observatório da inovação e conhecimento
Observatório da qualidade em serviços de informação e conhecimento (...mais 3 !!!)
Observatório das regiões em reestruturação
Observatório das artes e tradições
Observatório de festas e património
Observatório dos apoios educativos
Observatório da globalização
Observatório do endividamento dos consumidores (...serão da DECO ??)
Observatório do sul Europeu
Observatório europeu das relações profissionais
Observatório transfronteiriço Espanha-Portugal  (...o que é estes fazem ???)
Observatório europeu do racismo e xenofobia
Observatório dos territórios rurais
Observatório dos mercados agrícolas
Observatório virtual da astrofísica
Observatório nacional dos sistemas multimunicipais e municipais (...valha-nos a virgem !!!)
Observatório da segurança rodoviária
Observatório das prisões portuguesas
Observatório nacional dos diabetes
Observatório de políticas de educação e de contextos educativos
Observatório ibérico do acompanhamento do problema da degradação dos povoamentos de sobreiro e azinheira (lol...lol...)
Observatório estatístico
Observatório dos tarifários e das telecomunicações (...este não existe !!! é mesmo tacho !!!)
Observatório da natureza
Observatório qualidade
Observatório da literatura e da literacia
Observatório da inteligência económica (hé! hé!! hé!!!)
Observatório para a integração de pessoas com deficiência
Observatório da competitividade e qualidade de vida
Observatório nacional das profissões de desporto
Observatório das ciências do 1º ciclo
Observatório nacional da dança
Observatório da língua portuguesa
Observatório de entradas na vida activa
Observatório europeu do sul
Observatório de biologia e sociedade
Observatório sobre o racismo e intolerância
Observatório permanente das organizações escolares
Observatório médico
Observatório solar e heliosférico
Observatório do sistema de aviação civil (...o que é este gente fará ??)
Observatório da cidadania
Observatório da segurança nas profissões
Observatório da comunicação local (...e estes ???)
Observatório jornalismo electrónico e multimédia
Observatório urbano do eixo atlântico (...minha nossa senhora !!!)
Observatório robótico
Observatório permanente da segurança do Porto (...e se cada cidade fosse criado um !!!)
Observatório do fogo (...que raio de observação !!)
Observatório da comunicação (Obercom)
Observatório da qualidade do ar (...o Instituto de Meteo e Geofisica não faz já isto ???)
Observatório do centro de pensamento de política internacional
Observatório ambiental de teledetecção atmosférica e comunicações aeroespaciais (...este á bom !!! com o nosso desenvolvimento aero-espacial !!!)
Observatório europeu das PME
Observatório da restauração
Observatório de Timor Leste
Observatório de reumatologia
Observatório da censura
Observatório do design
Observatório da economia mundial
Observatório do mercado de arroz
Observatório da DGV
Observatório de neologismos do português europeu
Observatório para a educação sexual
Observatório para a reabilitação urbana
Observatório para a gestão de áreas protegidas
Observatório europeu da sismologia (...o Instituto de Meteo e Geofisica não faz isto também ???)
Observatório nacional das doenças reumáticas
Observatório da caça
Observatório da habitação
Observatório do emprego em portugal  (...este é mesmo brincadeira !!!)
Observatório Alzheimer
Observatório magnético de Coimbra

Sem comentários...

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Mas está tudo doido ou quê?!...

Expliquem-me isto, que eu não entendo:

- um dirigente dá ("alegadamente", como é de bom tom) dinheiro a um árbitro, sem este o saber, para, com isso, beneficiar o seu clube, fazendo com que o dito árbitro, afinal, seja, por denúncia daquele, impedido de arbitrar...
E reassume as funções... Que funções?


- um clube perde e é recebido em festa!...
- um clube ganha e é recebido com apupos!...


Como é que se diz, Scolari?...


quarta-feira, 28 de março de 2012

Pedro Barroso: o último dos trovadores...

Ontem, tive um sarau futebolístico. Dos quatro "onzes" em confronto na liga dos campeões, só não tinha portugueses... o português! E perdeu!
Hoje, deu-me p'ra ouvir "Cantos da Paixão e da Revolta", o último álbum de Pedro Barroso.
Gosto muito, sobretudo de "In nominae", cuja letra-poema é do meu conterrâneo e amigo, poeta da montanha, João Luís Dias (que já AQUI anunciara), e "Dá-me uma gota de ti":


Dei comigo
ao vidro baço e lento da janela
no palpebrar
cadente e moreno
dos teus olhos
a noite é apenas noite
e o silêncio
mudo
e apenas se ouve o sussurro
dos versos que te chamam…
em nome de tudo e de todos
os que ainda
amam


E o sorriso
foi dormir antes de mim
querendo-me a cama
morna
Se ausente te sei
mesmo que só um pouco
todo eu parto de mim
p’ra regressar-te
aos meus braços
louco
até que acorde
de tudo o que sonhei
nos beijos esquivos
que me chamam
e me sinta poeta do sentir
eu que nada sei
em nome de tudo e todos
os que ainda
amam


Dá-me uma gota de ti
Uma palavra que seja
Despida de todos os sinais
Vestida noutro lugar
Onde apitem vendavais
E gaivotas a cantar

Dá-me uma flor desfolhada
Com seiva de água na boca
E lonjuras de moinhos
Como alquimias de vento
A rasgar céus em pedaços
Como estilhaços do tempo

Dá-me um chá preto das cinco
E o Bolero de Ravel
Com a pauta sussurrada
Entre beijos no meu peito
Lábios carnudos que eu sinto
E o sabor da tua pele

Dá-me um trago de ti mesma
Em copo de ouro e cristal
P'ra que escondidos na noite
Celebremos o teu corpo
Com excessos soletrados
Num desrespeito total

quarta-feira, 7 de março de 2012

Ursos no Gerês?!...


No post http://carris-geres.blogspot.com/2012/03/um-urso-na-albergaria.html, do blogue "Carris", são publicadas algumas fotos de um urso pardo no Gerês.
São, garante Rui Barbosa, autor do blogue, fotos fidedignas. Tratou-se, segundo informação ali veiculada, de um urso domesticado usado nas filmagens de um spot publicitário.
Há, no entanto, vozes que vêm defendendo a (re)introdução daquele plantígrado no Gerês. Coincidência ou não, ultimamente, tenho ouvido e lido alguns testemunhos de avistamentos de ursos pardos por estas bandas... Até que ponto é verdade, não sei!...

Sei que, hoje, é socialmente, politicamente, ambientalmente e, até, snobemente correto regozijarmo-nos com a recuperação de "certos" animais e com a biodiversidade, mas URSOS ?!... VALHA-NOS DEUS!...

Para mim, que não sou hipocritamente correto, a introdução do urso no Gerês é um absurdo e uma afronta, e, a aventar-se tal hipótese, tudo farei para estar na trincheira de uma reação enérgica (para usar um eufemismo) a tão estrambólica intenção…

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Zeca Afonso... 25 anos depois!

Zeca Afonso morreu a 23 de fevereiro de 1987. Perfez ontem, portanto, 25 anos.
A Escola Básica e Secundária de Terras de Bouro, por proposta minha, aprovou em conselho pedagógico a promoção de um espetáculo que mostrasse aos alunos quem foi Zeca Afonso, personalidade marcante da luta pela liberdade, cantautor influente para muitas gerações.
Incentivei alguns alunos, músicos da Banda Musical de Carvalheira, convidei para tocar viola e "coordenação artística" o Luís Pinho, técnico superior de educação que temos o privilégio de ter na escola, e formamos uma banda especificamente para este "Tributo a Zeca Afonso... 25 anos depois": a "malta da escola".
Eis os vídeos da atuação (gravados e gentilmente cedidos pela prof.ª Sónia Coura):







terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Algures no PNPG: vida selvagem

Uma câmara de gravação noturna captou estas imagens reveladoras de um facto curioso da natureza: predadores e presas partilham (em momentos distintos, bem entendido) um espaço comum.

(vídeos tirados DAQUI - vernatureza.org)



 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Isto é que é AMOR A PORTUGAL!

                               "O mundo roda
                               e tudo muda sem parar,
                               mas uma coisa permanece igual
                               (...)
                               ...de janeiro a janeiro."

Para pagar impostos... “tamos” cá nós!