domingo, 1 de julho de 2012

1º Domingo de Julho: Festa da Senhora do Livramento

No dia da Festa da Senhora do Livramento, em Vilar, Terras de Bouro, recordo estes dois lindos fados: um, cantado por Amália, aí pelos anos 60, faz referência subtil à guerra colonial; o outro é interpretado por Camané e Maria da Fé.



Senhora do Livramento,
Livrai o meu namorado
Que me vai deixar sozinha,
Ai, meu Jesus!
Ai, meu Jesus!
Pela vida de soldado!
Pela vida de soldado!
As vossas tranças, Senhora,
São loiras como as espigas!
Senhora do Livramento,
Ai, meu Jesus!
Ai, meu Jesus!
Ajudai as raparigas!
Ajudai as raparigas

Senhora do Livramento 
Livrai-me deste tormento 
De a não ver há tantos dias 
Partiu zangada comigo 
Deixou-me um retrato antigo 
Que me aquece as noites frias
Senhora que o pensamento 
Corre veloz como o vento 
Rumando estradas ao céu 
Fazei crescer os meus dedos 
P´ra desvendar os segredos 
Num céu que não é só meu
Senhora do céu das dores 
Infernos, prantos, amores 
A castigar tanto norte 
Porque é que partiste um dia 
Sofrendo a minha agonia 
E não me roubaste a morte